COSIP: até quando?

Valci Melo
valcimelo@hotmail.com

A Campanha COSIP Não! Já pagamos tributos demais! que se lançou ao desafio de discutir junto aos cidadãos/ãs rui palmeirenses a extinção da absurda Contribuição para o Custeio do Serviço de Iluminação Pública (COSIP) no município de Senador Rui Palmeira já chegou a 650 assinaturas do eleitorado municipal.

E o Movimento continua! Quem ainda não assinou e deseja contribuir com o fim desse irresponsável tributo pode participar através da internet, no endereço: http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N22922, ou procurando algum dos colaboradores no Povoado Candunda, sítios e comunidades vizinhas, ou na própria cidade.

Assine, discuta, colete assinaturas e se prepare para participar da sessão na qual o Projeto de Lei de Iniciativa Popular para Extinção da COSIP no município de Senador Rui Palmeira será apresentado à Câmara de Vereadores! Pois como já dizia o poeta Gabriel, O Pensador na canção "Até quando?": 

"Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta. Levante aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve você pode, você deve; pode crer!"

"Não adianta olhar pro chão; virar a cara pra não ver. Se ligue aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu não quer dizer que você tenha que sofre". 

"Até quando você vai ficar usando rédea; rindo da própria tragédia? até quando você vai ficar usando rédea; pobre, rico ou classe média?"

Até quando você vai levar cascudo mudo? muda, muda essa postura! até quando você vai ficando mudo? muda que o medo é um modo de fazer censura!"

"Até quando você vai levando porrada, porrada? até quando vai ficar sem fazer nada? até quando você vai levando porrada, porrada?até quando vai ser saco de pancada?"

[...]

"Muda que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a gente muda a gente anda pra frente. E quando a gente manda, Ninguém manda na gente".

"Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura. Na mudança de postura a gente fica mais seguro. Na mudança do presente a gente move o futuro".